terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Melhores Filmes de 2013 - TOP 15



Em retrospectiva, 2013 foi um ano de boas surpresas cinematográficas. Abaixo listei 15 dos filmes mais bem avaliados em sites como Rotten Tomatoes, IMDB e reddit e que, na minha opinião, são os melhores filmes de 2013:

1. Gravidade (Gravity)

Gravidade é um sinistro e tenso thriller de ficção científica que é magistralmente dirigido por Alfonso Cuarón e visualmente deslumbrante. Um roteiro simples, e por vezes até clichê, mas executado com uma cinematografia, sonorização, efeitos e interpretação espetaculares, capazes de deixar todos tensos da primeira à última cena. Sem falar da fortíssima interpretação de Sandra Bullock, que levou o filme nas costas praticamente sozinha até o fim, com atuação controlada e no tom preciso. Acredite no hype: Gravidade é sim o filme do ano.

Drama, Mistério e Suspense, Ficção Científica
Diretor: Alfonso Cuarón
Roteiro: Alfonso Cuarón, Jonás Cuarón
Elenco: 
Sandra Bullock e George Clooney



2. Ela (Her)

"Her" estreiou nos cinemas americanos apenas neste dezembro de 2013. Do diretor Spike Jonze, a comédia apresenta um escritor aposentado (Joaquin Phoenix) que se apaixona por um sistema operacional altamente avançado de seu computador. Doce, com alma, e inteligente, o filme usa um ambiente levemente 'sci-fi' para apresentar uma crítica irônica e emocionante sobre o estado das relações humanas modernas. Uma das histórias mais originais e envolventes do ano.

Comédia, Drama
Diretor: Spike Jonze
Roteiro: Spike Jonze
Elenco: Joaquin Phoenix, Amy Adams, Scarlett Johansson




3. 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

O filme, que é favorito no Oscar, conta a histório de Solomon Northup, o cidadão de Nova York que foi sequestrado e posto para trabalhar em uma plantação em New Orleans em 1800. O filme possui um olhar com uma firmeza brutal não só dos 12 anos de um escravo, mas de toda a escravidão americana. Sem romantismos e sem dramalhões excessivos. Um relato real apresentado de forma realista. Triste e depressivo, mas imperdível.

Biografia,Drama, Histórico
Diretor: Steve McQueen
Roteiro: John Ridley (roteiro), Solomon Northup (livro)
Elenco: Chiwetel Ejiofor, Michael Fassbender, Brad Pitt, Benedict Cumberbatch



4. À Procura do Amor (Enough Said)

O filmes estrelando o finado James Gandolfini e a hilária Julia Louis Dreyfus é o melhor que uma comédia-romântica madura poderia ser. Irônico, encantador, impecavelmente encenado, e, finalmente, muito amargo. Uma comédia muito inteligente sobre como namorar aos 50. Diálogos interessantes, química perfeita entre os atores e cenas bem dirigidas fazem essa comédia-romântica ser miraculosamente romântica e cômica ao mesmo tempo.

Comédia, Romance
Diretor: Nicole Holofcener
Roteiro: Nicole Holofcener
Elenco: Julia Louis-Dreyfus, James Gandolfini, Catherine Keener, Toni Collette



5. Capitão Phillips (Captain Phillips) 

Capitão Phillips é um filme de múltiplas camadas que narra uma história real, o sequestro do navio transportador de containers Maersk Alabama dos EUA por uma tripulação de piratas somalis em 2009. Inteligente, ágil, e incrivelmente intenso, Capitão Phillips é um filme biográfico muito bem feito com mais uma performance brilhante dTom Hanks. Uma obra de arte que é um dos destaque do ano graças ao diretor e ao protagonista.

Aventura, Biografia, Drama
Direção: Paul Greengrass
Roteiro: Billy Ray (roteiro), Richard Phillips (livro "A Captain's Duty: Somali Pirates, Navy SEALS, and Dangerous Days at Sea")
Elenco: Tom Hanks, Barkhad Abdi, Barkhad Abdirahman



6. É o Fim (This Is the End)

A comédia segue seis amigos presos em uma casa depois de uma série de acontecimentos estranhos e catastróficos devastar Los Angeles. Enquanto o mundo acaba do lado de fora, o fim dos mantimentos e tensões dentro da casa ameaçam acabar com as amizades. Performances hilárias, auto-depreciativas e indutoras de gargalhada se destacam em um roteiro que parece ter sido escrito superficialmente para deixar os atores brilharem. Um filme idiota no melhor sentido possível.

Comédia
Direção: Evan Goldberg, Seth Rogen
Roteiro: Evan Goldberg, Seth Rogen
Elenco: James Franco, Jonah Hill, Seth Rogen




7. Vidas ao Vento (Kaze tachinu / The Wind Rises)

Dirigido e roteirozado pelo gênio Hayao Miyazaki, a animação apresenta um olhar sobre a vida de Jiro Horikoshi, o homem que projetou caças japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Mesmo não conseguindo se comparar em alguns aspectos a outras obras do Studio Ghibli, "Vidas ao Vento" ainda prova como uma história pode ser contada de maneira apropriadamente agridoce pelo recém-aposentado diretor Hayao Miyazaki. Um belíssimo ato final para uma grande carreira.

Animação, Biografia, Drama
Direção: Hayao Miyazaki
Roteiro: Hayao Miyazaki




8. Trapaça (American Hustle)

O filme conta a história de um brilhante trapaceador (Christian Bale), que junto com sua parceria (Amy Adams) é forçado a trabalhar para um agente do FBI (Bradley Cooper). Extremamente engraçado e com elenco impecável, American Hustle compensa algumas falhas com um roteiro inteligente, uma cinematografia enérgica, fotografias perfeitas e truques de direção impecáveis e vibrantes de David O. Russell. Um dos filmes mais empolgantes e brilhantes do ano.

Crime, Drama
Diretor: David O. Russell
Roteiro: Eric Singer, David O. Russell
Elenco: Christian Bale, Amy Adams, Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Robert De Niro




9. Azul é a Cor Mais Quente (Blue Is The Warmest Color)

O filme conta a história de uma menina de 15 anos que está começando a vida adulta e sonha em viver seu primeiro amor. Logo ela fica dividida entre um garoto de sua escola e uma misteriosa menina de cabelo azul. Ousado, honesto, deliberado e deliciosamente intenso, a produção consegue usar elementos polêmicos de maneira elegante e tem como resultado um dos dramas mais emocionalmente envolventes do cinema moderno. O filme é realmente muito mais excepcional que a polêmica gerada por ele.

Drama, Romance
Diretor: Abdellatif Kechiche
Roteiro: Abdellatif Kechiche  e Ghalia Lacroix 
Elenco: Léa Seydoux, Adèle Exarchopoulos, Salim Kechiouche



10. O Hobbit: A Desolação de Smaug (The Hobbit: The Desolation Of Smaug)

Segundo filme da trilogia adaptada da obra-prima "The Hobbit", de JRR Tolkien, "The Hobbit: A Desolação de Smaug" continua a aventura do hobbit Bilbo Baggins (Martin Freeman) enquanto ele viaja com o Gandalf Wizard (Ian McKellen) e treze anões, liderados por Thorin Escudo de Carvalho (Richard Armitage) em uma jornada épica para recuperar o Reino anão. Embora ainda um pouco prejudicado por problemas narrativos e por ser extremamente longo, a desolação de Smaug consegue ser um segundo capítulo mais emocionante da série. A excelência ténica do ano.

Aventura, Fantasia
Diretor: Peter Jackson
Roteiro: Fran Walsh e Philippa Boyens
Elenco: Ian McKellen, Martin Freeman, Richard Armitage, Benedict Cumberbatch, Evangeline Lilly, Orlando Bloom


11. Temporário 12 (Short Term 12)

Grace é uma jovem com passado familiar complicado que começa a trabalhar como assistente social em um orfanato. Enquanto se adapta à dura realidade das pessoas acolhidas, Grace conhece Mason, outro assistente com quem passa a ter um relacionamento. É um drama enfático, que consegue trazer o público para a perspectiva de jovens negligenciados. Ele vai conseguir fazer você rir em um minuto e chorar no outro. 

Drama
Diretor: Destin Cretton
Roteiro: Destin Cretton
Elenco: Brie Larson, Frantz Turner, John Gallagher Jr.




12. Blue Jasmine (Blue Jasmine)

Obra mais recente do diretor Woody Allen, apresenta uma socialite de Nova York sem dinheiro que se esforça para superar uma crise de meia idade na casa de sua irmã. Jasmine é uma das melhores produções de Woody Allen, principalmente graças ao elenco soberbo liderado por Cate Blanchett. O filme é uma captura de quase perfeita de uma mulher à beira de um ataque de nervos tentando manter a classe. Fascinante.

Comédia, Drama
Diretor: Woody Allen
Roteiro: Woody Allen
Elenco: Cate Blanchett, Alec Baldwin, Peter Sarsgaard




13. Antes da Meia-Noite (Before Midnight)

Sequência dos envolventes Antes do Amanhecer (1995) e Antes do Anoitecer (2004). Dirigido por Richard Linklater, que divide o roteiro com ambos os atores, Ethan Hawke e Julie Delpy. Enquanto of filmes anteriores destacavam os personagens se encontrando e se envolvendo, este apresenta as perspectivas do amor, casamento e compromisso de longo prazo. Original, criativo, único e com personagens e histórias muito interessantes.

Comédia, Drama
Diretor: Richard Linklater
Roteiro: Richard Linklater, Julie Delpy
Elenco: Ethan Hawke, Julie Delpy, Seamus Davey-Fitzpatrick





14. Minha Vida com Liberace (Behind the Candelabra)

Antes de Elvis, Madonna e Lady Gaga, houve Liberace: pianista talentoso e uma estrela extravagante nos palcos e na televisão. O filme feito para TV (HBO) é baseado na vida real de Liberace e seu relacionamento com o jovem Scott Thorson. O filme consegue ser afetuoso sem sacrificar a honestidade, e se destaca principalmente pelas grandes performances de Michael Douglas e Matt Damon e pela direção afiada de Steven Soderbergh. Corajoso, real e fabuloso.

Biografia, Drama, Romance
Diretor: Steven Soderbergh
Roteiro: Richard LaGravenese (roteiro), Scott Thorson (livro)
Elenco: Matt Damon, Scott Bakula, Michael Douglas, Eric Zuckerman





15. Muito Barulho por Nada (Much Ado About Nothing)

Um projeto ousadíssimo de Joss Whedon dá um visual contemporâneo ao texto clássico de Shakespeare. Filmado em apenas 12 dias (e usando o texto original), a história dos amantes Beatrice e Benedick  oferece uma visão negra, sexy e, ocasionalmente, absurda do jogo intrincado que é o amor. Uma comédia romântica divertida, com elenco harmonioso e a direção única de Whedon. Leve, delicioso e bem-humorado.

Comédia, Drama, Romance
Diretor: Joss Whedon
Roteiro: Joss Whedon (adaptação), William Shakespeare
Elenco: Alexis Denisof, Amy Acker, Fran Kranz, Clark Gregg, Sean Maher


Menções honrosas:

Além da fronteira (Out in the dark)
- Cine Holliúdy
- Os Suspeitos (Prisoners)
Frances Ha
The Spectacular Now
Círculo de Fogo (Pacific Rim)
- Jogos Vorazes: Em Chamas (The Hunger Games: Catching Fire)


Sentiu falta de algum filme na lista? Comente!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

VOTE: Qual o melhor álbum lançado em 2013?



Com a facilidade de acesso a músicas em formato digital e com os artistas cada vez mais focando no lançamento de singles, cada vez mais os álbuns têm sido menos procurados. A prova disso é que a venda de álbuns completos têm caído, mas a de singles digitais tem crescido vertiginosamente. Com isso, os artistas que se preocupam em fazer um disco rico, com conceito e recheado de músicas significativas e que se completam no todo merecem um crédito extra em um mercado que não dá mais tanto valor a isso.

VOTAÇÃO ENCERRADA EM 31/12/2013

Clique neste link e veja o resultado da votação: TOP 30 Melhores Albuns de 2013


Create your free online surveys with SurveyMonkey , the world's leading questionnaire tool.

sábado, 7 de dezembro de 2013

TOP 30 Melhores Músicas de 2013 (Parte 2)


No post anterior comecei a falar das 30 Melhores Músicas de 2013 [CLIQUE AQUI PARA CONFERIR]. Nesta continuação destaco as 15 melhores pérolas de 2013. Cada uma dessas músicas não só me marcaram, mas acredito que trouxeram algo de novo para o cenário pop.

Confira a lista:

15. Icona Pop – I Love It (feat. Charli XCX)
gênero: electro house


14. Gotye – Hearts a Mess

gênero: Alternative/eletronic


13. Swedish House Mafia – Don't You Worry Child feat. John Martin

gênero: Dance/House


12. 5 A Seco – Pra Você Dar o Nome

gênero: MPB


11. Alicia Keys – Fire We Make (Ft. Maxwell)
gênero: neo-soul

10. Lianne La Havas - Don't Wake Me Up

gênero: neo-soul


9. 5 A Seco & Maria Gadu – Em Paz

gênero: MPB

8. Capital Cities – Kangaroo Court

gênero: nu-disco/synthpop


7. Lana Del Rey – Young and Beautiful

gênero: alternative/indie-pop


6. Frank Ocean – Forrest Gump

gênero: R&B


5. Lady Gaga – Applause

gênero: pop


4. Mariah Carey – The Art of Letting Go

gênero: soul


3. Macklemore & Ryan Lewis – Same Love (feat. Mary Lambert)

gênero: hip-hop/rap


2. Sara Bareilles – Brave

gênero: pop


1. Mariah Carey – #Beautiful (feat. Miguel)

gênero: neo-soul/R&B


Menções honrosas:
Músicas que foram os maiores hits de 2013 e não estão nessa lista

"Locked Out Of Heaven" - Bruno Mars
"Roar" - Katy Perry
"Royals" - Lorde
"Blurred Lines" - Robin Thicke e T.I. and Pharrell
"Get Lucky" - Daft Punk e Pharrell

Sentiu falta de alguma música? Alguma canção que deveria estar na lista? Cometi alguma injustiça? Comente aqui!


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

TOP 30 Melhores Músicas de 2013 (Parte 1)



Em uma retrospectiva das músicas lançadas como single em 2013, este foi um ano sem grandes novas supressas (como Gotye ano passado) mas mesmo assim com algumas novas músicas muito interessantes. Fiz uma lista do TOP 30 (com ajuda do last.fm) das melhores músicas lançadas em 2013 na minha opinião.

Confira a lista e clique nos vídeos para ouvir as músicas:

30. India.Arie – Flowers
gênero: neo-soul


29. Zedd – Clarity (ft. Foxes)
gênero: electro-house



28. OneRepublic – Counting Stars
gênero: pop/rock



27. London Grammar – Strong
gênero: brit-pop



26. Jamie Cullum – The Same Things
gênero: jazz



25. Rudimental – Waiting All Night ft Ella Eyre
gênero: electronic



24. Pink – Just Give Me A Reason ft Nate Ruess
gênero: pop



23. Daft Punk – Lose Yourself to Dance (feat. Pharrell Williams)
gênero: funk/disco



22. Fergie – A Little Party Never Killed Nobody (All We Got) (feat. Q-Tip & GoonRock)
gênero: dance


21. Muse – Madness
gênero: alternative rock



20. Janelle Monáe – Q.U.E.E.N. (feat. Erykah Badu)
gênero: funk/R&B



19. Keane – Higher than the Sun
gênero: britpop



18. Naughty Boy – Lifted Ft. Emeli Sande
gênero: tecnopop



17. James Blake - Retrograde
gênero: neo-soul/R&B



16. Marcelo Jeneci – Feito Pra Acabar
gênero: mpb

 


domingo, 1 de dezembro de 2013

The Art of Letting Go: Mariah Carey lança música de volta às origens

Muito se fala da "old Mariah", aquela que cantava baladas clássicas como "Hero" e "Without You" e blues e soul com ênfase em sua voz como "Vision of Love" e "Emotions". Isso porque no decorrer dos 25 anos de carreira a cantora mudou muito, e hoje explora o R&B com influência do jazz, voz mais suave com ênfase no whisper register, e parcerias constantes com nomes do hip-hop.

Eis que no fim de outubro, Mariah Carey preparou um lançamento exclusivo no Facebook de uma canção que ela diz ter escrito e gravado para os fãs: "The Art of Letting Go" (TAOLG).

A música é um neo-soul com instrumental orquestrado e bastante minimalista para dar espaço para apresentar a voz da Mariah Carey, que se apresenta rica de texturas, com melismas brilhantes, graves e agudos fortes e uma emoção de arrepiar.

TAOLG conseguiu unir brilhantemente as melhores qualidades da "old Mariah" com a "new Mariah". A voz está ali, potente, com um toque da suavidade e emoção da Mariah atual; o estilo de soul clássico tem toques de modernidade e um mix com o R&B. Uma faixa perfeita para mostrar por que a Mariah é a última grande Diva de nossa geração.


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Divas da black soul music

 

A Soul Music é um gênero musical que nasceu nos EUA entre o final da década de 50 e início da década de 60, combinando elementos da música gospel afro-americana, do rhythm e blues, e do jazz. O gênero surgiu numa época de vários movimentos de liberalismo social, lutas por direitos civis, contra o racismo e contra a guerra, influenciando diretamente toda a população negra americana.

O soul surgiu da experiência dos negros na América, como uma forma de testemunho de sua luta. Seja pela forma de extravasar suas dores através da dança, com o funk, ou por registrar suas angústias e clamar por esperança com uma mistura de jazz e blues e um vocal forte e com muitas improvisações, muitas vezes acompanhado de backing vocal ou até corais.

Por isso, se destacam nesse estilo as grandes divas, mulheres fortes que através da soul music (ou black soul music) cantam suas dores, conflitos no relacionamento, narram suas realidades do subúrbio, clamam por justiça ou cantam sua esperança e fé.

Veja abaixo uma relação de algumas das principais divas do Soul, R&B (mistura de soul e funk na música pop) e Neo-soul (mistura musical de vocais e instrumental no estilo do soul dos anos 70 com o som R&B contemporâneo e batidas hip hop).

1. Aretha Franklin
Queen of Soul (rainha do soul), ícone da música negra, Aretha é considerada a maior cantora de todos os tempos pela revista Rolling Stone e pela mesma, foi eleita a 9ª maior artista de todos os tempos. Sua personalidade marcante se destaca em suas músicas, sempre carregadas de emoção. Foi a primeira mulher a gravar nesse gênero.


2. Patti Labelle
Diva do soul, Patti LaBelle cresceu cantando num coral da Igreja Batista local e, desde que começou na carreira, destacou-se por passear por diversos estilos, do pop às baladas, passando pelo funk.


3. Mariah Carey
Mariah é uma das maiores vocalistas femininas da música contemporânea. Em 1990, surgiu fortemente influenciada por Aretha e Patti, cantando um R&B pop que dominou o mercado nos anos 90. Seus primeiros álbuns foram dominados pelo soul, com sua voz potente e cheia de artifícios. Aos poucos Mariah inaugurou uma mistura de neo-soul, R&B e hip-hop, gênero perpetuado por cantoras como Beyoncé e Aaliya.


4. Whitney Houston
Whitney foi uma das melhores vocalistas das décadas de 80 e 90. Sua voz era carregada de emoção e passeava fácil pelas notas mais complexas. Sempre carismática, gravou algumas canções de pop-soul mais famosas dos últimos anos.


5. Etta James
Intérprete de blues, R&B, jazz e música gospel, também era conhecida como Miss Peaches, Etta James começou a cantar desde os 16 anos, quando se tornou mãe solteira, pensando em sustentar seu bebê. Com uma voz muito singular, Etta marcou gerações com suas performances fortes.


6. Jill Scott
Jill Scott é atualmente um dos maiores expoentes do soul/R&B do atual cenário musical norte-americano. Artista de voz ímpar, Scott começou a carreira declamando poesia e continua até hoje usando parte de seus shows para 'declamar' suas letras.


7. India.Arie
India.Arie é cantora da nova leva da Soul Music americana, detentora de alguns Grammys e figura constante nas últimas listas de indicados. India.Arie tem realizado uma bela viagem pelas trilhas da música, mergulhando nas raízes africanas presentes na cultura americana e mundial, além de elaborar experiências sonoras e visuais que merecem atenção daqueles que curtem uma boa música.


8. Gladys Knight
Gladys despontou com sua banda Gladys Knight & the Pips nos anos 60, que continha em sua formação o irmão e os primos da cantora. Era tia da cantora Aaliyah. Possui voz e expressões marcantes e é até hoje destacada como uma das principais influências da soul music atual.


9. Amy Winehouse
Amy Jade Winehouse gravou apenas dois álbuns e faleceu aos 27 anos, mas seu imenso talento foi suficiente para marcar o neo-soul, influenciar diversos cantores e torna-la um ícone. Ela resgatou as raízes do soul em termos de voz, performance, estilo e letra. Ela certamente se tornará uma das artistas que perpetuará muitas influências e eternizará sua música, lembrada pelas gerações seguintes e tornando-se referência para novos artistas.


10. Chaka Khan
Chaka Khan chamou atenção do mundo pela primeira vez como cantora na banda funk Rufus, em meados dos anos 70. Com a ajuda de Stevie Wonder, despontou nas paradas de sucesso R&B em 1974. Apesar de nunca ter se tornado um fenômeno, ela é considerada a rainha do Funk-Soul e influenciou a formação de grandes cantoras como Whitney e Eryka Badu.


Menção honrosa:

Adele
Ainda dando os primeiros passos no cenário musical e já é considerada uma das maiores revelações da Soul Music dos últimos anos.


Para ver as novidades das divas do Soul Music e os melhores clássicos, visite a página “Soul Divas” no Reddit e clique em subscribe.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Dica de Câmbio: acompanhe a Cotação

 

Nesses períodos incertos, com dólar, libra esterlina e euro subindo horrores, um dos maiores desafios para quem vai viajar é conseguir uma cotação razoável para acabar não perdendo dinheiro na viagem.

Pesquisando por cotações online descobri o maravilhoso site investing.com. Nele é possível acompanhar em tempo real como vai a cotação da moeda através de gráficos. Uma dica é esperar a moeda cair e ao primeiro sinal de subida começar a ligar para as casas de câmbio para ver quanto está a cotação.
Ver cotação hoje
Veja alguns links diretos para cotação nas principais moedas:
Se você for viajar acompanhado, uma boa dica é juntar o dinheiro de todos que irão e fazer o câmbio juntos. Dessa forma, com um valor mais alto, é possível negociar um desconto no valor da cotação com as casas de câmbio.  
Onde achar Casas de Câmbio próximas?
Quem tem smartphone (Android ou iPhone) tem um aplicativo muito bacana do Banco Central chamado “Câmbio Legal”. Ele acessa pelo GPS a região em que você se encontra e te aponta as casas de Câmbio mais próximas com os respectivos telefones para você começar sua cotação. O aplicativo é muito prático e funciona muito bem no Rio pelo menos.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Curiosidade: os ventos são grandes causadores de mortes na Noruega

Você sabia que  ventos fortes são grandes causadores de ferimento e até mortes na Europa. Em especial na Noruega. Há inclusive diversas leis proibindo pessoas de se expôr aos ventos fortes.

Veja esse vídeo das pessoas quase carregadas pelo vento.


E uma curiosidade: é ilegal praticar atividades no vento na Noruega, por isso no vídeo aparece um policial prendendo o fotógrafo e o senhor idoso. Pais que deixam crianças menores de 18 anos sozinhas nov ento também podems er multados e presos. Não, isso não é piada.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Cantores e bandas indie atuais: a 'musica indie'


Com a evolução da internet os artistas começaram a ter mais facilidade de difundir seus trabalhos. Qualquer um pode gravar sua música e fazer upload no Youtube, Soundcloud ou Last.fm e começar a conquistar sua fanbase. As grandes gravadoras ainda dominam as rádios mas não controlam mais totalmente os artistas que se tornam mais relevantes no mercado da música. Assim surgem os artistas e bandas indie, que gravam e divulgam seus trabalhos de maneira independente, sem depender de grandes gravadoras e distribuidoras.

Muitas pessoas se referem a “música indie” como um gênero de maneira errônea, pois o termo se refere não a um estilo musical, mas a todos os artistas que não possuem contratos ou possuem contratos com uma gravadora independente. Logo, podemos ter “indie rock”, “indie pop”, “indie folk”, “indie hip-hop”, “indie soul”, “indie alternative accoustic rock” e por aí vai.

Segue abaixo a lista de alguns artistas indie que ganharam relevância no showbusiness nos últimos anos.


Obs: Essa lista foi expandida em 2015 com +10 cantores e bandas.

1. Duncan Sheik

Duncan Sheik seguiu o trajeto inverso da música indie. Cantor, compositor, instrumentista e produtor, tocou e compôs por anos com o Radiohead e assinou contrato com uma grande gravadora nos anos 90, quando conquistou seu primeiro #1 hit, “Barelly breathing”. Desde então, se dedicou a explorar sonoridades e letras mais introspectivas (um rock alternativo, bem orquestrado e arranjado, muitas vezes acústico, apenas voz com piano ou violão). Com estilo cada vez menos comercial, Duncan perdeu sua relevância no mercado pop e nos últimos 10 anos vem produzindo materiais indie de altíssima qualidade. Sua voz cheia de emoção e letras muito bem escritas completam as melodias sempre muito complexas e bem executadas.



2. Matt Alber

Uma voz grave e que também atinge notas altíssimas, Matt Alber canta, escreve e toca todas as suas canções. Com estilo um pouco “indie country” mas com forte influência do blues acústico, Matt Alber possui letras fortes e músicas com melodias lindas. Além da voz meio Josh Groban, só que cantando músicas boas. Impossível não se emocionar. Meu músico favorito do momento.



3. Iron & Wine

Iron and Wine é o nome artístico utilizado pelo cantor norte-americano Sam Beam. O músico escreve, toca, grava e produz cada uma das músicas de seus álbuns em seu próprio estúdio caseiro. A sonoridade de suas músicas, que inclui violão, banjo e outros instrumentos, é classificada como country alternativo, folk progresivo ou indie folk. Suas canções são muito relaxantes e com letras muito poéticas.



4. The Swell Season

Duo formado por Glen Hansard (da banda irlandesa The Frames) e Markéta Irglová (pianista de formação clássica Checa e vocalista). Os dois gravaram o primeiro álbum através de uma gravadora independente, com estilo bastante acústico e letras poéticas e profundas. Ganharam mais evidência através da música “Falling Slowly”, trilha sonora do filme "Once" (Apenas uma Vez).




5. Crystal Bowersox

 2º lugar do American Idol de 2010, Crystal Bowersox assinou contrato com uma gravadora que a obrigou a gravar country/pop, o que resultou em um álbum genérico e muito mal sucedido. Livre do contrato, a artista conseguiu desenvolver seu estilo único em uma gravadora independente. Muito comparada com Janis Joplin, pela sua voz cheia de emoção e estilo indie-rock, Crystal é a prova de que os reality shows ainda são uma porta de entrada para artistas de verdade no cenário musical.



6. A Fine Frenzy

Alison Sudol, conhecida como A Fine Frenzy, é cantora, compositora e pianista. Começou a carreira escrevendo narrativas e transformando-as em músicas intensas e emocionais. De voz suave, A Fine Frenzy possui três álbuns gravados, sendo cada um deles com um direcionamento diferente. Algumas de suas canções foram usadas em seriados de TV como “Cold Case” e “One Tree Hill”.



7. Chris Garneau

Chris Garneau, nome artístico de Christopher Garneau, é um cantor-compositor e pianista norte-americano. De voz suave e estilo melódico, possui um som distinto com uma combinação de elementos do folk, pop, baroque e música circense. Lançou alguns EPs de maneira independente e atualmente vem ganhando destaque no cenário indie, fazendo shows pelo mundo.



8. Sandi Thom

Sandi Thom é uma cantora folk escocesa. Ganhou evidência através do MySpace e chamou atenção de uma gravadora após começar a fazer streaming com uma webcam de performances acústicas que fazia em sua própria casa no subúrbio de Londres. Foi convidada a gravar seu primeiro álbum em 2006 e teve um single #1, “I Wish I Was A Punk Rocker (With Flowers In My Hair)”. Porém, não caiu nas graças do público pop e continua gravando seus álbuns de maneira independente.



9. Bombay Bicycle Club

O Bombay Bicycle Club vem do Norte de Londres, e teve seu nome inspirado em um restaurante indiano da região. Venceram um festival e gravaram uma demo de 7 músicas em 2006. Assim começaram a fazer shows em grandes casas inglesas em parcerias com outras bandas. O primeiro álbum foi lançado em 2009 com estilo “indie rock”.



10. Room Eleven

A banda nasceu de um bilhete afixado em um quadro de recados, no conservatório de Utrecht (Holanda). Com o primeiro álbum lançado de maneira independente em 2006, “Six White Russians and a Pink Pussycat”, eles impressionaram um público cada vez maior com a mistura de Jazz, Bossa Nova, Blues e Pop. A voz da vocalista Janne Schra é encantadora, e o instrumental surpreendente.



Conhece mais algum artista ou banda indie que recomendaria?


Leia também:

Música Indie: +10 Melhores Cantores e Bandas Indie da Atualidade

sábado, 31 de agosto de 2013

Como sobreviver nesse mundo: Seja duro, mas não seja frio.



Algumas pessoas precisam crescer rápido. Outras são privilegiadas e crescem com todo o apoio da família, amadurecendo a seu tempo. Mas é fato que mais cedo ou mais tarde aprendemos que o mundo é egoísta. Todos, muitas vezes nossa própria família, pensam sempre em si próprios, no que outros irão achar ou pensar, no que acreditam ser o melhor. Como sobreviver nesse mundo? Sendo duro, mas não sendo frio.

As pessoas são egoístas, míopes, autoindulgentes, mas elas também são calorosas, carinhosas, compreensivas e gentis. Às vezes, uma pessoa pode ser todas essas coisas. Para sobreviver, precisamos construir e confiar em nossa força interior, para termos como nos defender das falhas e fraquezas dos outros. E para aprender com nossas próprias falhas também. Assim, nos tornamos um ser humano forte. Um homem (ou mulher).


Um ser humano forte cria um lugar para si, pequeno o suficiente e sólido o suficiente para que consiga manter por conta própria e para abrigá-lo contra o caos do mundo. Esse é o seu lugar, e é aí que você se fortalece. O lugar onde você se desenha, defende a todo o custo, onde você reflete, se questiona, duvida e acredita... onde você se abriga e, um dia, pode optar por compartilhar com outra pessoa.

Esse lugar nem sempre é um lugar físico, embora possa ser. É um lugar que você cria dentro de você, para você e somente você. As crianças vivem nos espaços dos outros, homens e mulheres criam um espaço para si próprios. É o grande momento de transição.

Depois que você construir o seu espaço, chegará um tempo em que o mundo lá fora ficará frio e brutal. E você vai querer desligar-se e manter todo mundo de fora, porque você sente estar de fora quando está no mundo, e prefere estar no seu espaço. Mas é fato que se fechar e desligar a si mesmo e suas emoções só vai piorar as coisas.

Você é o calor em seu próprio mundo. E justamente o frio é o momento mais propício para mostrar seu calor para os outros. E, ao longo do tempo, eles irão compartilhar o calor deles com você. Olhe para esse calor. Valorize-o. Escolha seus amigos com cuidado. Construa laços com as pessoas que você se importa e se preocupa. Seja o tipo de pessoa de quem você gostaria de ser amigo, e seus bons amigos sempre irão estar com você.

Seja duro, não seja frio.

Tudo vai ficar bem. "It gets better". É duro crescer, mas nós temos tudo que é preciso para sobreviver.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Melhores livros de todos os tempos

Imagem: Books by Mehdi Mohammadi Rouzbahani from Iran

Visitando a bienal do livro realizada no Rio de Janeiro de 29/Agosto até 08/Setembro de 2013 fiquei motivado pelo encontro que tem o livro como astro principal. Para dar uma dica aos leitores a procura de algo para ler, posto aqui uma lista dos livros mais recomendados em listas TOP 100. A lista, originalmente postada no reddit.com, consolida os livros mais bem avaliados em listas de fontes como a revista TIME, Entertainment Weekly, Modern Library, The Guardian. Adicionei ainda outras indicações de listas de sites como Le Monde, Folha de S. Paulo, FlavorWire, a listofbooks, Portal Universia  e do próprio Reddit. No total foram 16 listas consolidadas em ordem dos mais bem avaliados.

Abaixo, segue o top 40:

  1. Catch-22 - Joseph Heller
    (Ardil 22)
    Romance satírico-histórico do autor norte-americano Joseph Heller, publicado originalmente em 1961. O livro, situado durante os estágios finais da Segunda Guerra Mundial de 1944 em diante, é frequentemente citado como uma das maiores obras literárias do século XX.



  2. Lolita - Vladimir Nabokov (Lolita)
    Romance de autoria do escritor russo Vladimir Nabokov, publicado pela primeira vez em 1955. Narrado em primeira pessoa pelo protagonista, o professor de poesia francesa de idade avançada Humbert Humbert, que se apaixona por Dolores Haze, sua enteada de doze anos e a quem apelida de Lolita.



  3. The Great Gatsby - F. Scott Fitzgerald
    (O Grande Gatsby)

    Romance escrito pelo autor americano F. Scott Fitzgerald. Publicado pela primeira vez em 1925, a história passa-se em Nova Iorque e na cidade de Long Island durante o verão de 1922, e é uma crítica ao "Sonho Americano", após a 1º Guerra Mundial.


  4. Invisible Man - Ralph Ellison
    (Homem invisível)

    Romance clássico da literatura americana. Publicado pela primeira vez em 1952 pelo autor afro-americano Ralph Ellison, tem sido constantemente republicado, citado, comentado. A narrativa revela a dor da existência do homem negro num mundo branco. É a história da viagem de um jovem negro pelos estados sulistas da América nos primeiros anos do século XX.



  5. Slaughterhouse-5 - Kurt Vonnegut
    (Matadouro 5)

    Publicado em 1969, é uma narrativa fantasiosa, sarcástica, engraçada, satírica, irônica, triste e cheia de sentido, obra-prima do norte-americano Kurt Vonnegut. Conta a tentativa de um ex-soldado americano que lutou na 2º Guerra Mundial e que assistiu ao bombardeio da cidade de Dresden de escrever sobre a experiência da guerra. O personagem, Billy Pilgrim, é um americano bem de vida e interiorano que viaja no tempo, para outros planetas, e revisita diversos momentos da sua própria vida.




  6. The Catcher in the Rye - J.D. Salinger
    (O Apanhador no Campo de Centeio)
    Romance do escritor americano J. D. Salinger. Publicado inicialmente em formato de revista, entre 1945-1946, foi posteriormente editado no formato de livro em 1951, tornando-se um dos romances mais lidos no país. O livro trata da rebelião adolescente e narra um fim-de-semana na vida de Holden Caulfield, um jovem de dezessete anos vindo de uma família abastada de Nova Iorque que foi expulso da escola.



  7. The Sound and The Fury - William Faulkner
    (O Som e a Fúria)

    Livro do escritor estadunidense William Faulkner, um dos pioneiros da técnica narrativa conhecida como fluxo de consciência, do Século XX.  Narra a agonia de uma família da velha aristocracia sulista, os Compson, entre 1910 e 1928, após a derrota na Guerra da Secessão.



  8. 1984 - George Orwell
    Romance distópico clássico do autor inglês Eric Arthur Blair, mais conhecido pelo pseudônimo George Orwell. Publicado em 1949, retrata o cotidiano de um regime político totalitário e repressivo em 1984. A história narrada é a de Winston Smith, um homem com uma vida aparentemente insignificante, que recebe a tarefa de perpetuar a propaganda do regime através da falsificação de documentos públicos e da literatura a fim de que o governo sempre esteja correto no que faz. Smith fica cada vez mais desiludido com sua existência miserável e assim começa uma rebelião contra o sistema.



  9. Beloved - Toni Morrison
    (Amada)

    Livro mais conhecido da escritora americana Toni Morrison, prêmio Nobel de Literatura de 1993, e Pulitzer de 1988. Em 1998 recebeu uma adaptação cinematográfica - A bem-amada - com Oprah Winfrey no papel principal. A história se passa nos anos posteriores ao fim da Guerra Civil, quando a escravidão havia sido abolida nos Estados Unidos. Sethe é uma ex-escrava que, após fugir com os filhos da fazenda onde era cativa, foi refugiar-se na casa da sogra. No caminho, ela dá à luz um bebê, a menina Denver, que vai acompanhá-la ao longo da história.



  10. The Grapes of Wrath - John Steinbeck
    (As Vinhas da Ira)
    Publicado pelo escritor norte-americano John Steinbeck em 1939, vencedor do prêmio Nobel em 1962. Relata a história de uma família pobre do estado de Oklahoma, que durante a Grande Depressão de 1929 se vê obrigada a abandonar as terras que ocupava havia décadas, em regime de meeiros, devido à chegada de tratores e máquinas e de um novo regime de propriedade que tornou obsoleto o trabalho manual de aragem e plantio da terra.



  11. To Kill a Mockingbird - Harper Lee
    (O sol é para todos)

    Romance vencedor do Pulitzer escrito por Harper Lee e lançado em 1960. É um dos maiores clássicos da literatura norte-americana moderna e deu origem a um filme homônimo, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado em 1962. O romance é baseado livremente nas memórias familiares da autora, assim como em um evento ocorrido próximo a sua cidade natal em 1936, quando ela tinha 10 anos de idade. O texto é bem-humorado e emocionante e trata de questões raciais e sexualidade.



  12. The Sun Also Rises - Ernest Hemingway
    (O Sol Também Se Levanta)

    Romance do escritor estadunidense Ernest Hemingway, publicado em 1927.
    Retrata o cotidiano de um grupo de expatriados boêmios, ingleses e norte-americanos, após o término da Primeira Guerra Mundial. A história se desenrola nas cidades de Paris e Pamplona, durante as Festas de São Firmino. O americano Jacob Barnes é o protagonista e narrador da história. Conhecido como Jake, ele trabalha como repórter em Paris e, após voltar impotente da guerra, acaba se apaixonando por Lady Brett Ashley, mulher de personalidade fútil, que trata os homens como simples objetos e envolve-se com vários deles, apesar de ser comprometida.



  13. Atlas Shrugged - Ayn Rand
    (A Revolta de Atlas)

    Livro de ficção da autora e filósofa Ayn Rand, publicado em 19571, e que inclui elementos de mistério e ficção científica. A narrativa lida com questões filosóficas (objetivismo), políticas e econômicas. O livro explora um Estados Unidos distópico, onde o governo insiste em taxar e regulamentar os cidadãos produtivos, suas empresas e realizações individuais.



  14. Brave New World - Alduos Huxley
    (Admirável Mundo Novo)
    Livro escrito pelo britânico Aldous Huxley e publicado em 1932 que narra um hipotético futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente e psicologicamente a viverem em harmonia com as leis e regras sociais, dentro de uma sociedade organizada por castas. A sociedade desse "futuro" criado por Huxley não possui a ética religiosa e valores morais que regem a sociedade atual. Qualquer dúvida e insegurança dos cidadãos era dissipada com o consumo da droga sem efeitos colaterais aparentes chamada "soma". As crianças têm educação sexual desde os mais tenros anos da vida. O conceito de família também não existe.



  15. Gone With the Wind - Margaret Mitchell
    (...E o Vento Levou)

    Romance da escritora e jornalista norte-americana Margaret Mitchell, publicado em 1936 e vencedor do Pulitzer. Um romance sobre a guerra civil norte-americana, a aristocracia sulista que ela abala e transforma, e a coragem de uma mulher que nunca se deixou vencer. Os protagonistas são a linda e tempestuosa Scarlett O Hara e o irresistível Rhett Butler, que a ama ao longo de todas as suas provações. 



  16. Midnight’s Children - Salman Rushdie(Os Filhos da Meia-Noite)
    Lançado em 1980 pela escritora britânica Salman Rushdie. Narra a história de duas crianças, uma hindu e outra mulçumana, que nascem num hospital de Bombain no exato momento em que a Índia se torna uma nação independente: meia-noite do dia 15 de agosto de 1947. Uma enfermeira ressentida troca os dois bebês, cujas trajetórias vão se misturar com a complexa e acidentada história da própria Índia contemporânea.



  17. On the Road - Jack Kerouac
    (Pé na Estrada)

    Livro do escritor estadunidense Jack Kerouac. Uma grande influência para a juventude dos anos 60, que colocava a mochila nas costas e botava o pé na estrada. Lançado em 1957, narra a história de Sal Paradise, que vive com sua tia em New Jersey enquanto tenta escrever um livro. Em Nova York ele conhece um charmoso e alucinante andarilho de Denver de personalidade magnética chamado Dean Moriarty, cinco anos mais novo que Sal, mas que compartilha o seu amor por literatura e jazz, e a ânsia de correr o mundo. Tornam-se amigos e, juntos, atravessam os Estados Unidos, deparando-se com os mais variados tipos de pessoas, numa jornada que é tanto uma viagem pelo interior de um país quanto uma viagem de auto-conhecimento.



  18. The Adventures of Huckleberry Finn - Mark Twain
    (As Aventuras de Huckleberry Finn)
    Romance do escritor norte-americano Mark Twain, publicado em 1884. Nele, o protagonista, amigo de Tom Sawyer, vive inúmeras aventuras pelo rio Mississippi em uma balsa.



  19. Snow Crash - Neal Stephenson(Nevasca)
    Livro de ficção científica escrito por Neal Stephenson em 1992, inspirado em livros cyberpunk, mas com um estilo diferenciado, baseado em uma narrativa de estrutura caótica e contendo referências a assuntos pouco explorados no gênero, como linguística, filosofia, antropologia e história. A história se passa num futuro em que os Estados Unidos como conhecemos não existem mais. O país está nas mãos de mercenários e corporações de toda espécie. Hiro, o protagonista, trabalha para uma dessas corporações como entregador de pizzas. Mas isso é no mundo que conhecemos. Na realidade virtual, o Metaverso pertence à elite que criou aquele lugar, habitado por avatares de toda espécie. Em qualquer dos dois mundos, Hiro também é um exímio samurai, que precisará de todas suas habilidades para salvar esses mundos de uma terrível ameaça.



  20. The Heart is A Lonely Hunter - Carson Mccullers
    (O Coração é um Caçador Solitário)

    Lançado em 1940 pela autora americana Carson McCullers. A história se passa numa cidadezinha ao sul dos EUA, onde os efeitos da Grande Depressão ainda se fazem sentir. Personagens como Biff Brannon, dono do restaurante que nunca fecha na cidade; a garota Mick, forçada a passar abruptamente da infância à idade adulta; o agitador marxista Jake Blount; o médico negro Benedict Copeland, que atende de graça os pacientes pobres e luta pela emancipação racial, enfrentam, além da carência material, o flagelo da solidão e da incomunicabilidade.



  21. The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy - Douglas Adams
    (O Guia do Mochileiro das Galáxias)

    É uma série de ficção científica cómica criada por Douglas Adams. Originalmente era transmitida na BBC Radio 4 em 1978, foi mais tarde adaptada para outros formatos, se tornando revolucionária no gênero. Na história, Arthur Dent tem sua casa e seu planeta (sim, a Terra) destruídos em um mesmo dia, e parte pela galáxia com seu amigo Ford, que acaba de revelar que na verdade nasceu em um pequeno planeta perto de Betelgeuse.



  22. To the Lighthouse - Virginia Woolf(Rumo ao Farol)
    Lançado em 1927, um marco na carreira da modernista Virginia Woolf, o livro manipula elementos temporais e psicológicos. Na história, a família Ramsay e seus convidados rememoram situações do passado, em que se misturam questões íntimas e banais, como o passeio de barco a um farol próximo, com os fatos traumáticos da 1ª Guerra Mundial. Virginia Woolf reconstituiu ficcionalmente, neste livro, muitas das experiências e sensações partilhadas com sua geração de intelectuais e artistas.



  23. Ubik - Philip K. Dick
    Lançado em 1969, é uma irreverente história sobre a morte e a salvação escrita pelo consagrado escritor americano Philip K Dick. Em uma sociedade futurista, Glen Runciter é dono de uma empresa responsável por rastrear psis, indivíduos com habilidades especiais, como telepatas e precogs. Ele e seus funcionários caem na armadilha de uma empresa rival. Seus funcionários passam a receber estranhas mensagens em moedas e embalagens de cigarro. O tempo começa a retroceder e eles terão que lutar contra a degeneração física e mental. A solução pode estar no spray Ubik.



  24. Lord of the Rings trilogy - J.R.R. Tolkien
    (Trilogia "O Senhor dos Anéis")

    Livro de fantasia criado pelo escritor, professor e filólogo britânico J. R. R. Tolkien, escrito entre 1937 e 1949. A história começa como sequência de um livro anterior de Tolkien, O Hobbit (The Hobbit), e narra o conflito contra o mal que se alastra pela Terra-média, através da luta de várias raças - Humanos, Anões, Elfos, Ents e Hobbits - contra Orcs, para evitar que o "Anel do Poder" volte às mãos de seu criador Sauron, o Senhor do Escuro. Partindo dos primórdios tranquilos do Condado, a história muda através da Terra-média e segue o curso da Guerra do Anel através dos olhos de seus personagens, especialmente do protagonista, Frodo Bolseiro. A história principal é seguida por seis apêndices que fornecem uma riqueza do material de fundo histórico e linguístico.



  25. The Handmaid’s Tale - Margaret Atwood
    (O Conto da Aia)
    É um romance distópico, de ficção científica, escrito pela autora canadense Margaret Atwood, publicado em 1985. A história passa-se num futuro muito próximo e tem como cenário uma república que já foi os EUA, mas onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes – tudo fora queimado. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no Muro, em praça pública, para servir de exemplo. Para merecer esse destino, não é preciso fazer muita coisa – basta, por exemplo, cantar qualquer canção que contenha palavras proibidas pelo regime, como "liberdade". Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes.



  26. A Song of Ice and Fire - George R.R. Martin
    (As Crônicas de Gelo e Fogo)

    É uma série de livros de fantasia épica escrita pelo romancista e roteirista norte-americano George R. R. Martin. A história começou a ser desenvolvida em 1991 e o primeiro volume foi lançado em 1996. Originalmente concebida para ser uma trilogia, a série consiste em cinco volumes publicados (A Guerra dos Tronos,
    A Fúria dos Reis, A Tormenta de Espadas, O Festim dos Corvos e A Dança dos Dragões), com mais dois planejados. Existem três argumentos principais na história que interligam-se cada vez mais ao decorrer dos livros: a crônica de uma guerra civil dinástica entre várias famílias concorrentes pelo controle dos Sete Reinos; a ameaça crescente das criaturas sobrenaturais conhecidas como os Outros, que habitam além de uma imensa muralha de gelo ao Norte; e a ambição de Daenerys Targaryen, a filha exilada de um rei assassinado em outra guerra civil ocorrida treze anos antes, prestes a voltar à sua terra e reivindicar seu trono por direito. A história foi recentemente adaptada para a TV pela HBO, com o nome do primeiro livro, "Guerra dos Tronos".



  27. His Dark Materials - Philip Pullman
    (Fronteiras do Universo)

    É uma série literária de fantasia, escrita pelo autor britânico Philip Pullman e que compreende uma trilogia inicial formada pelos livros Northern Lights (A Bússola de Ouro), The Subtle Knife (A Faca Sutil) e The Amber Spyglass (A Luneta Âmbar). A série segue o crescimento de duas crianças, Lyra Belacqua e Will Parry, em sua jornada por uma série de universos paralelos com um pano de fundo de eventos épicos. A história envolve elementos de fantasia, como feiticeiras e ursos-polares falantes, e faz alusão a uma ampla gama de ideias de campos, como a física, filosofia e teologia.



  28. American Gods - Neil Gaiman
    (Deuses Americanos)
    É um romance do escritor britânico Neil Gaiman, publicado em 2001, que mistura fantasia e várias vertentes da mitologia antiga e moderna, tudo centralizado em um misterioso e taciturno protagonista Shadow. Após a morte de sua esposa em um acidente de carro, Shadow é liberado da prisão antes de cumprir totalmente sua pena. Perdido, acaba por conhecer um homem misterioso, Wednesday, que será muito mais importante na vida de Shadow do que ele imagina. Na verdade, Wednesday é um antigo deus, certa vez conhecido por Odin, o Pai de Todos. Ele está percorrendo os Estados Unidos a fim de reunir seus companheiros esquecidos para uma batalha épica contra as divindades do mundo moderno: internet, televisão, cartões de crédito, telefone, rádio... Shadow aceita ajudar Wednesday, e eles se lançam a uma tempestade psicoespiritual que se torna demasiadamente real em suas manifestações.



  29. Don Quixote - Miguel de Cervantes
    (Dom Quixote)

    Livro escrito pelo espanhol Miguel de Cervantes y Saavedra e publicado em 1605. É composto por 126 capítulos, divididos em duas partes: a primeira surgida em 1605 e a outra em 1615. O livro parodia os romances de cavalaria que tiveram imensa popularidade no período e, na altura, já se encontravam em declínio. Nesta obra, o protagonista, já de certa idade, entrega-se à leitura desses romances, perde o juízo, acredita que tenham sido historicamente verdadeiros e decide tornar-se um cavaleiro andante. Por isso, parte pelo mundo e vive o seu próprio romance de cavalaria. Enquanto narra os feitos do Cavaleiro da Triste Figura, Cervantes satiriza os preceitos que regiam as histórias fantasiosas daqueles heróis de fancaria.



  30. Madame Bovary - Gustave Flaubert
    Romance escrito pelo escritor francês Gustave Flaubert que resultou num escândalo ao ser publicado em 1857, a ponto de levar seu autor a julgamento. O romance conta a história de Emma, uma mulher sonhadora pequeno-burguesa, criada no campo, que aprendeu a ver a vida através da literatura sentimental. Bonita e requintada para os padrões provincianos, casa-se com Charles, um médico interiorano tão apaixonado pela esposa quanto entediante. Nem mesmo o nascimento da filha dá alegria ao indissolúvel casamento ao qual a protagonista se sente presa. Emma, cada vez mais angustiada e frustrada, busca no adultério uma forma de encontrar a liberdade e a felicidade.



  31. Grande Sertão: Veredas - Guimarães Rosa
    Romance brasileiro de Guimarães Rosa publicado em 1956. A história se passa no sertão do Norte de Minas, onde o jagunço Riobaldo conta para um interlocutor a história de sua vida de guerreiro e de seu amor pelo jagunço Diadorim -na verdade, uma mulher disfarçada de homem para vingar o pai morto em luta. A escrita de permanente invenção de Guimarães Rosa (feita de neologismos, arcaísmos, transfigurações da sintaxe) reelabora a expressão oral e os mitos do interior do país a fim de criar um quadro épico e metafísico do sertão.



  32. Ulysses - James Joyce
    (Ulisses)
    Publicado em 1922 pelo escritor irlandês James Joyce, Ulisses foi escrito primeiramente como um seriado para jornal. A história é uma paródia contemporânea do clássico "Odisséia" de Homero. O livro pretende resumir as variadas e possíveis experiências do homem moderno, o homem do século XX. Para isso, narra a vida dos personagens Leopold Bloom e Stephen Dedalus ao longo de um dia - 16 de junho de 1904 - em Dublin, capital da Irlanda.



  33. Cien años de soledad – Gabriel García Márquez
    (Cem Anos de Solidão)
    Romance lançado em 1967 pelo colombiano Gabriel García Márquez, vencedor do Nobel em 1990. A saga de duas famílias no povoado fictício de Macondo é o pretexto para o autor construir uma alegoria da situação da América Latina. Obra que projetou internacionalmente o “realismo mágico”.



  34. Pride and Prejudice - Jane Austen
    (Orgulho e Preconceito)
    Romance da escritora britânica Jane Austen, publicado em 1813. A história se passa na Inglaterra do final do século XVIII, onde as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Porém, Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso mas imprudente senhor, não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica às mulheres na voz dessa heroína.



  35. L’Étranger - Albert Camus
    (O Estrangeiro)
    Publicado pelo autor francês Albert Camus em 1942, o livro é tão popular porque, à parte ser a seca narrativa das desventuras de Meursault, condenado à morte por matar um árabe a troco de nada, é também a narrativa das desventuras de um homem do século XX. Mersault leva uma vida banal; recebe, indiferentemente, a notícia da morte da mãe; comete o crime; é preso; julgado; tudo gratuito, sem sentido, apenas mais um homem arrastado pela correnteza da vida e da História.




  36. A Clockwork Orange - Anthony Burgess
    (
    Laranja Mecânica)
    Situado na sociedade inglesa de um futuro próximo, que tem uma cultura de extrema violência juvenil, onde um anti-herói adolescente dá uma narração em primeira pessoa sobre suas façanhas violentas e suas experiências com autoridades estaduais que possuem a intenção de reformá-lo. Inspiração para a adaptação cinematográfica de Stanley Kubrick, o livro Laranja Mecânica discute a relação entre entretenimento, violência e controle mental, fazendo uma sátira da sociedade inglesa.




  37.  The Color Purple - Alice Walker 
    (
    A Cor Púrpura)
    Neste livro, ganhador do Prêmio Pulitzer de 1983, conhecemos a história de uma garota chamada Celie, de 14 anos, que é abusada sexualmente do próprio pai e tem dois filhos com ele. A história tem como plano de fundo o racismo no sul dos Estados Unidos, o machismo, o patriarcado, a amizade, o amor e o desamor, as carências educacionais para as mulheres, entres outros temas.




  38.  孫子兵法 / sūn zĭ bīng fǎ - Sun Tzu
    (
    A Arte da Guerra)
    O livro escrito por Sun Tzu, é um tratado militar escrito durante o século IV a.C. que, apesar de fornecer ideias e estratégias para campos de batalhas, também contem dicas de planejamento para a vida pessoal e profissional. Acredita-se que o livro tenha sido usado por diversos estrategistas militares através da história como Napoleão, Zhuge Liang, Cao Cao, Takeda Shingen, Vo Nguyen Giap e Mao Tse Tung. Hoje, A Arte da Guerra parece destinado a secundar outra guerra: a das empresas no mundo dos negócios.




  39. Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis 
    É após a morte que Brás Cubas decide narrar suas memórias. Nesta condição, nada pode suavizar seu ponto de vista irônico e mordaz sobre uma sociedade em que as instituições se baseiam na hipocrisia. O casamento, o adultério, os comportamentos individuais e sociais não escapam à sua visão aguda e implacável, nesta obra fundamental de Machado de Assis. O livro rompe com a narração linear e objetivista de autores proeminentes da época como Flaubert e Zola para retratar o Rio de Janeiro e sua época em geral com pessimismo, ironia e indiferença.




  40. Война и миръ - Lev Nikolayevich Tolstoi / Liev Tolstoi
    (Guerra e Paz) 
    Guerra e Paz narra um romance que acontece na Rússia durante a época de Napoleão Bonaparte, contando as guerras napoleônicas russas. É uma das obras mais volumosas da história da literatura universal. Tolstói desenvolve no livro uma teoria fatalista da História, onde o livre-arbítrio não teria mais que uma importância menor e onde todos os acontecimentos só obedeceriam a um determinismo histórico irrelutável.
     


Leia também: 
Maior empresa de tradução literária divulgou lista dos 50 livros mais traduzidos do mundo. Adivinha qual o único brasileiro da lista? 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...