quarta-feira, 27 de março de 2013

Mariah Carey: ainda sambando na cara do cenário musical


Mariah Carey emplacou mais hits em #1 e vendeu mais discos que qualquer outra cantora, mas mesmo assim ela ainda é estranhamente mal reconhecida. Hoje, mesmo com a voz visivelmente abalada, alcançando menos oitavas, Mariah Carey tem em seu currículo uma trajetória que transformou o cenário musical desde os anos 90. Porém, a grande maioria do público tem uma visão restrita de seu valor.

Afinal de contas, precisa haver motivos para a Mariah, com quase 3 décadas de carreira, continuar milionária e fazendo sucesso. Até porque, se casar com dono de gravadora fosse garantia de sucesso, Thalia seria referência mundial, né?

Além da imagem que a Mariah apresenta de diva de longas madeixas loiras, que nunca sai do salto, com suas crises de frescura, existe uma artista de feitos geniais que acaba sendo ofuscada pela persona que ela criou. Uma artista que criou as bases que foram fundamento para a grande maioria dos cantores que nasceram nos últimos anos.

Ao invés de enumerar as milhares de premiações e os recordes muito mencionados da cantora, vou mencionar alguns dos feitos da Mariah pouco reconhecidos e que influenciaram fortemente o cenário musical contemporâneo.


Cantora

Para começar, a marca registrada da Mariah, seus agudos. Junto a Whitney Houston, Mariah pode ser tida como a resposta de nossa geração para Aretha Franklin e Shirley Bassey da geração anterior, levando-se em consideração vocais fortes e performances emocionantes. Mesmo assim, em se tratando de elasticidade vocal, Mariah era capaz de deixar Whitney sem ar. Se Minnie Riperton introduziu os agudos chamados de "whistles" na música, Mariah amestrou-os e os introduziu definitivamente na música moderna. Não é a toa que sua voz virou sua marca registrada, que, de tão impressionante, no início de sua carreira suspeitaram ser truque de estúdio. Foi preciso uma live performance na MTV para provar a todos que sua voz era real, e apresentar à música pop as maravilhas que uma voz humana era capaz de fazer.





Compositora

E a Mariah Carey compositora. Você sabia que ela é a songwriter que mais emplacou hits nos Estados Unidos? E que mundialmente, ela é a terceira compositora que mais emplacou hits #1 (17), perdendo apenas para Paul McCartney (32) e John Lennon (26)? E quando falo compositora, falo daquela que vai para o estúdio com papel e caneta, e interage com todos os músicos, não daquela que paga para aparecer entre os créditos no meio de dezenas de compositores.

Suas letras são ricas, mas talvez não sejam reconhecidas porque vêm camufladas nos álbuns ou ofuscadas por melodias pop que as vezes não fazem jus ao conteúdo. É o caso por exemplo da intraduzível Heartbreaker, que possui uma das letras mais ricas e os jogos de palavra mais geniais que já ouvi em uma música pop up-tempo, fazendo rimas nada convencionais com narrativas cotidianas.

Tentar traduzir as letras da Mariah é uma tarefa quase impossível, já que sua principal riqueza é seu vocabulário rebuscado. É o caso da hilária "Up Out My Face". Além do vocabulário, Mariah consegue encaixar na melodia diversos jogos de palavra, que fogem das rimas e das estruturas clássicas de letra.

"Not even a nail technician with a whole lot of gel and acrylic can fix this when I break, I break...
If we were two Lego blocks, even the Harvard University graduating class of 2010
Couldn't put this shit back together again."


Cadê o Pulitzer, pfvr?



R&B

Além da voz, e das letras, Mariah inaugurou o R&B moderno. Já em seu primeiro álbum, completamente influenciado pelos anos 80, Mariah começou a incorporar nesse estilo pop o soft R&B, o blues, o soul e o jazz, além de um toque de Gospel. Ela foi mais bem-sucedida que outras cantoras da época que tentaram o mesmo mas acabaram rotuladas por um único gênero (Houston, Celine Dion e Sade, para citar algumas). Mariah dessa forma conseguiu agradar e dominar diversos formatos de rádio simultaneamente. Nenhuma outra cantora havia conseguido um feito assim, até o surgimento de Adele.

 



Cultura negra

Falando em inovar gêneros, Mariah foi pioneira no hip-hop. Em uma época em que negros e brancos viviam em duas dimensões musicais totalmente diferentes, em 1995 Mariah tirou o vestido preto, vestiu top e shortinho, se cercou de rappers dos mais obscuros cantos de NY e gravou a revolucionária Fantasy. A diva considerada princesa do pop desceu a rua e trouxe para o cenário mainstream diversos rappers como o lendário Ol’ Dirty Bastard. O remix de Fantasy entrou para história como a primeira parceria de uma cantora pop com um rapper a entrar nos charts.

Mariah conseguiu encontrar um meio termo entre as baladas puras de Sade e o hip-hop totalmente urbano de Mary J. Blidge. Isso trouxe um novo gás para sua carreira. Futuramente com Diddy, Missy Elliott, TLC e Jermaine Dupri, Mariah deu aos rappers mais visibilidade e mais dimensão ao gênero hip-hop. E ela fez isso de maneira natural, sem parecer uma mera pretensão comercial. Sem ela, Beyonces, Christina Aguileras e Rihannas não existiriam como elas são hoje. Arrisco-me a dizer que a categoria "Best Rap/Sung Collaboration" do Grammy também não existiria.
 






Dance Remix

E falando em remixes revolucionários, Mariah Carey também inovou ao fazer releituras de suas próprias canções no formato Dance Music. Em 1993, quando se juntou a David Morales e voltou para o estúdio para regravar o hit "Dreamlover" em Dance, Mariah se tornou a primeira artista a relançar uma música regravada em outro gênero com propósitos comerciais. Uma tendência rapidamente copiada por outros artistas. O grande diferencial é que a Mariah continuou regravando completamente as canções, com novos vocais e arranjos, enquanto outros artistas apenas enviavam as músicas para DJs remixarem.
 




Diva

Era uma vez uma época em que existiam grandes divas como Aretha Franklin, Tina Turner e Dinana Ross. Grandes vozes que celebravam a música e a emoção nas suas performances. Então Madonna surgiu e instigou uma nova juventude com novas atitudes em um novo gênero de pop. Desde então as grandes vozes foram sendo abafadas por novas "divas" sexualizadas e que chamavam mais atenção para performances acrobáticas do que para a música.

Mariah, assim como Whitney, surgiu para manter o estilo das grandes divas. O seu diferencial é que ela conseguiu inovar, como com o Hip-hop, e mesmo assim manter sua postura 'prima donna', com performances vocais de altíssimo nível. O maior exemplo disso é o álbum "Butterfly", na minha opinião o melhor de sua carreira, onde ela consegue harmonizar canções de estilo clássico como Butterfly, com canções que inauguram novos estilos de música urbana, como "Honey" e "The Roof". Um exemplo mais comtemporâneo é o álbum "The Emancipation of Mimi", com o hit "We Belong Together", que definiu o conceito moderno de diva.

 




Poder feminino

Falando em divas, Mariah sempre enalteceu o "girl power".  E, ao ingressar no hip-hop, Mariah abriu portas para diversas cantoras no mercado. Sua postura de inclusão de mulheres e negros ajudou a derrubar barreiras para essas minorias no mercado musical. Prova disso, é que a grande maioria de seus records são femininos (a cantora com mais #1s, a cantora que mais vendeu, etc.) pois o mercado antes dela era basicamente dominado por homens, em sua maioria brancos.

Mariah sempre falou de multirracialidade e do papel da mulher, e ficou famosa também por compor letras inspiracionais. Vale destacar também que ela trouxe para o cenário pop a música gospel, que ficava restrita ao gueto.







Multicultural

Muitos comparam Mariah com Whitney Houston, e colocam Whitney em posição superior. Porém, apesar de Whitney ter um legado indiscutível, Mariah sempre foi mais versátil e mais acrobática que sua "adversária". A voz da Mariah possui várias texturas e timbres, e ela utiliza isso a seu favor como nenhuma outra cantora pop. Ela consegue migrar a força de Aretha Franklin, com o timing e afinação de Ella Fitzgerald, a imponência de Barbra Streisand e a extensão vocal de Minnie Riperton.

Mariah é realmente um camaleão. E consegue adaptar sua voz ao estilo que canta, Jazz, Gospel, R&B, Soul, Pop, Dance, Soft Rock, Hip-Hop e...  Country. E muitas cantoras ainda tentam a imitar nisso, mas falham por não terem a respiração, o controle vocal, ou mesmo a versatilidade na voz.





All I Want For Christmas...

E como não falar do natal? Todo ano, em dezembro, Mariah é mais executada nas rádios que os cantores mais pop do momento. Mesmo quando nenhuma gravadora se esforça para divulgar suas músicas, as rádios tocam espontaneamente seus clássicos natalinos.

Mariah lançou o álbum Merry Christmas em 1994, e desde então se tornou a personalidade viva mais ligada às comemorações. Desde então, diversos cantores todos os anos tentam lançar álbuns de natal e criar seus próprios clássicos, mas a única canção moderna a se tornar clássico de natal foi “All I Want for Christmas is You”, da Mariah Carey. Além disso, suas regravações são tão executadas que se tornaram mais conhecidas pelos jovens que as versões originais, como é o caso de "Oh! Holy Night" e "Christmas (Baby Please Come Home)".





Esses são alguns motivos que permitiram que a Mariah, em meio a tantos altos e baixos, tivesse a carreira duradoura que ela construiu no cenário musical. Gostando ou não, é preciso reconhecer seu legado e sua importância para a música pop como conhecemos. Um brinde aos 43 anos dessa grande artista, lenda viva, que um dia terá seu talento devidamente reconhecido pelo grande público. Assim como ela é reconhecida por Aretha Franklin, que nunca perde uma oportunidade de rasgar seda para a Mariah.

De bônus, segue um vídeo de uma parceria das duas divas.

7 comentários:

  1. Muito interessante a reflexão a cerca dos temas que permeiam a carreira dessa verdadeira Diva!

    ResponderExcluir
  2. Texto perfeito de uma artista única. As músicas da Mariah tocam, emocionam. Impossível não se arrepiar quando ela começa a cantar com sua voz poderosa e única. Dançar todo mundo aprender, agora ter voz potente e diferente de todas não é para qualquer um. Escuto todos os dias essa diva que se eternizou na minha vida. Viva a rainha da voz.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Concordo em partes: Mariah Carey é uma cantora Maravilhosa e Perfeita. Uma verdadeira Rainha também e a segunda melhor voz depois de Whitney. Apelidada de The Voice, Whitney Houston, é considerada uma das mais belas e potentes vozes da história da música mundial. É classificada como sendo Mezzo-soprano Dramático, com um registro vocal de 4 oitavas (A2-A6), Chegando a atingir 6 Oitavas com sua super voz de cabeça que é imbatível! sendo que suas principais características vocais mais fortes são os melismas e vibratos. Mariah Carey mesmo era fã e babava com Whitney Houston, Pois Whitney não cantava, ela humilhava qualquer cantora da Terra com sua voz acrobática e estratosférica.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...