terça-feira, 26 de agosto de 2014

Ninguém é perfeito, somos todos normais.

Vivemos em uma cultura de fantasias. Um mundo de expectativas inatingíveis e de mentiras. Mentimos para nós mesmos a respeito de quem somos. Mentimos para os outros para reforçar essa mentira. Fantasiamos a respeito de quem gostaríamos de ser e ficamos deprimidos quando não conseguimos ser a imagem dos nossos sonhos. E isso é tão imaturo, pois nunca iremos conseguir alcançar expectativas irreais. Nas nossas fantasias, não pensamos em problemas, morte ou vida... só criamos uma imagem perfeita de nós mesmos para prospectar para o mundo: feliz, rico, sexy e livre de qualquer bagagem emocional.

A verdade é que todos têm bagagens emocionais. Ninguém é perfeito. Da mesma forma que nos fantasiamos, é comum fantasiarmos o outro e enxergamos a grama do vizinho como a mais verde. Está na hora de parar de comparar nossos bastidores com palco de outra pessoa e começar a dominar nossos demônios. Não, não estou dizendo que tenho orgulho em ser inseguro, ciumento, depressivo ou ansioso. Mas sei o que sou, e como sou, e preciso aprender a reconhecer e a lidar com isso.


Há uma força absurda na união, especialmente quando esta união está fundamentada na verdade. Verdade sobre seus desejos e intenções. Verdade sobre como você realmente se sente, ao invés de montar um circo para agradar os outros. Verdade sobre nossas inseguranças. Precisamos parar e pensar se estamos sendo AUTÊNTICOS e honestos, porque quando somos realmente autênticos, nossas conexões tornam-se muito mais reais. As pessoas te entendem e você entende melhor as pessoas.

Nessas conexões baseadas na autenticidade encontramos um sentido real. A solidão acaba se esvaindo pois, sabe esses demônios que você tem? Esses sentimentos e pensamentos tristes que o perseguem de tempos em tempos, ou diariamente ou até de hora em hora? Há MILHÕES de pessoas que passam EXTAMENTE pelo mesmo. E no momento em que percebemos isso, no momento em que percebemos o quanto somos iguais, uma pequena semente de força é lançada em nossos pensamentos. E essa sementinha vai germinar e frutificar em felicidade, paz interior, cura para feridas emocionais...

Nessas conexões baseadas na autenticidade surgem relacionamentos reais. É quando você encontra alguém que realmente ama você. VOCÊ! Sua gargalhada, seu sorriso, a maneira como você se comporta, a forma como você dorme, seu coração, seu passado, suas imperfeições, suas esquisitices, VOCÊ. As vezes leva tempo para amar alguém assim, e as vezes acontece num piscar de olhos. Mas isso acontece. E se você for honesto e autêntico consigo mesmo e com seus sentimentos, isso será refletido nesse relacionamento. 

O que quiz dizer com isso tudo é que eu queria muito que as pessoas fossem mais abertas e honestas. Menos distantes e mais autênticas. Com menos medo de se aproximar e experimentar uma conexão real. É uma merda ter sentimentos negativos e ter que suprimi-los para colocar uma máscara diante do mundo. Ontem não foi um dia bom para mim. E quer saber? Eu não sou super forte, equilibrado, calmo, companheiro e feliz o tempo todo. Mas saber que as pessoas que amo também têm dias ruins, pensamentos malucos e idiotas, ficam irritados ou são dominados pela tristeza ou stress faz com que me sinta completamente normal.  A honestidade insensibiliza a dor, porque me faz ter um sentimento genuíno e me aproximar do outro sem medo pois sei que ele também têm suas fraquezas. Porque me faz perceber que não sou o único e que se outros conseguem superar um dia ruim, ou uma tristeza, ou uma experiência, então eu posso também. E você pode também. E o mundo inteiro pode. Nunca estamos sozinhos. Ninguém nesse mundo é perfeito. Somos apenas normais.


Ninguém é perfeito, somos todos normais. wall-e pixar


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...